Trashédia

YOU WILL BE HAPPIER WITH LOWER STANDARDS

O QUE EU ANDEI PARA AQUI CHEGAR | TRASHEDIASTOLITHENIGHT

Prepara-se uma noite de arromba no Casino de Lisboa, um local cuja natureza já é, por si só, atarefada. A área de jogo é muito…

Continuar a ler...

A Fashion pode fechar | Gianni, this is for you

A Gigi disse-me na after party: OMG! Your music is like, the best to walk to!!! E sim, a Gigi é a Hadid, e a…

Continuar a ler...

MIAU MIAU | TRASHEDIASTOLITHENIGHT

O nosso encontro TRASHEDIASTOLITHENIGHT é no Baixa Bar, na Baixa do Porto, num domingo de Setembro. Diz-se muito que em Setembro está frio no Porto,…

Continuar a ler...

O QUE EU ANDEI PARA AQUI CHEGAR | TRASHEDIASTOLITHENIGHT

Prepara-se uma noite de arromba no Casino de Lisboa, um local cuja natureza já é, por si só, atarefada. A área de jogo é muito atraente. Não sei bem porquê, há um encanto incrível em máquinas de jogo e nos seus neons coloridos. Para além dos néons, a luz do Casino é vermelha, por isso tudo tem um tom cor de rosa. O vermelho das luzes dissipa-se até cá abaixo e a luz difusa que fica no ar é cor de rosa. Ficamos todos cor

Continuar a ler…

A Fashion pode fechar | Gianni, this is for you

A Gigi disse-me na after party: OMG! Your music is like, the best to walk to!!! E sim, a Gigi é a Hadid, e a música de quem se trata é a da Inês Violet Coutinho, que eu já vos apresentei no último TRASHÉDIASTOLITHENIGHT. Um desfile de moda é sempre um espectáculo. Preenche os cânones de um espectáculo embora raramente seja encarado como tal. Tem um cenário, tem modelos, tem figurinos, tem algum acting, some drama, tem público, tem banda sonora. Para um desfile de

Continuar a ler…

MIAU MIAU | TRASHEDIASTOLITHENIGHT

O nosso encontro TRASHEDIASTOLITHENIGHT é no Baixa Bar, na Baixa do Porto, num domingo de Setembro. Diz-se muito que em Setembro está frio no Porto, mas é mentira. Na rua há umas bandeirolas triangulares coloridas, penduradas em fios que fazem assim uma espécie de tecto sempre em festa. E é Domingo, mas é de festa. “Se fosse há uns seis ou sete anos atrás, isto que estávamos a fazer hoje era bastante perigoso e provavelmente não estava a acontecer”, quem o diz é o João

Continuar a ler…