Trashédia

YOU WILL BE HAPPIER WITH LOWER STANDARDS

Artigos por joana barrios

à Maria – uma carta sobre o pós-parto

Após o post do #OOTD EM MODO OVO KINDER, uma leitora e amiga comentou no Instagram para fazer um post sobre o pós-parto, acho que com uma amplitude maior do que simplesmente o que vestir. O seu segundo filho já nasceu. O meu não. Tomo a liberdade, Maria (podia ser um nome fictício na boa), de escrever sobre tudo o que não são roupas, de um sítio onde tu sabes, porque estás lá, que é muito íntimo, porque foi tudo isso que me “preocupou” no

Continuar a ler…

Paris VS. Paris

Isto ontem, se tivesse sido eu a mandar, tinha começado assim: Num palco pequeno à italiana, um telão pintado preso numa das primeiras bambinas deixando espaço apenas para uma franjinha de boca de cena depois de aberta a cortina de ferro. Entram duas actrizes, cada uma de seu lado. PARIS ANTIGA (Muito bem vestida com um vestido preto de corte e inspiração Chanel anos 20, saia pregada de cintura baixa, corpo simples e decote em barco, calça sapatos de carácter pretos e traz ao pescoço um

Continuar a ler…

SUPREME X LOUIE V.

No ano dois mil, a Supreme, com seis anos de vida, fazia uma coisa incrível e super fixe, pré-era da viralidade na internet, mas muito possível para a viralidade na internet, que foi a apropriação do padrão monogramado da Vuitton. Alterado, verdade seja dita, de forma subtil, sem correr riscos judiciais ao nível do roubo da propriedade. Foi apenas um exercício de apropriação cultural, típico dos movimentos artísticos da guerrilha urbana da street art. Tudo simples, tendo em conta que a Supreme começa na cabeça

Continuar a ler…

A MI MANERA – J-Lo!

Dia de Reis, a Camille Paglia, que de resto há uns vinte anos que não dá uma pr’á caixa, teve a audácia de dizer que tanto a Madonna como a J-Lo faziam figuras tristes porque estavam velhas e se comportavam como adolescentes, coisas que não serão para aquela idade. Não o terá dito assim, porque isso estaria completamente fora dos limites do discurso cuidado digno de uma académica como ainda é vista. Na primeira frase deste texto, lá no nome dela, está o link para

Continuar a ler…

#OOTD 16 – em MODO OVO KINDER

A pedido de várias leitoras, mas de uma em particular que está a viver uma fase semelhante à minha, ou seja, uma gravidez, este post é dedicado ao drama que é, às vezes, uma pessoa cobrir-se de têxteis durante esse período. Amygas, não é fácil. Já estive grávida uma vez, mas dá-me a ideia de ter sido sempre Verão, e aí sim, foi relativamente fácil, foi nível de principiante. Só que neste caso… Não. Não. Grávida no Inverno é muito difícil, mas nunca impossível! Começo

Continuar a ler…

74th GOLDEN GLOBES – LE RED CARPET

Ahhhh. Madrugada de oito de Janeiro, mesmo a seguir ao Natal e ao Ano Novo e ao Dia de Reis e só penso nas mesas postas em permanência, que só se terão recolhido ontem à tarde em pleno tédio dominical e em tudo o que lá estaria em cima e que se foi picando nas últimas três semanas. Penso nisso e depois penso inevitavelmente em figuras como Rachel Zoe a panicar naquele registo monocórdico não pelos nipple covers, mas por I need more spanx. Porque

Continuar a ler…

Break Free

  O mundo da viralidade acaba de nos presentear com um anúncio feito por um estudante alemão de origem moldava, de 26 anos, chamado Eugen Merher, para a Adidas. Não sei se é um exercício escolar, se é um exercício vindo da livre vontade ou do apreço/fandom por uma marca como a Adidas, mundialmente conhecida como a super rainha no retalho vintage (sempre mano a mano taco a taco com a tão próxima Puma), ou a super marca que calçou a música independente, por exemplo. Enquanto

Continuar a ler…

OH MÃÃÃÃÃÃÃE!

Bom Dia – Bom Ano. Espero que 2017 seja maravilhoso. Assim em bom rigor, 2016 foi um ano incrível, tal como todos os outros que estão para trás e que contam na minha cronologia, desde 1985. E pensar que teria sido incrível evitar acontecimentos na vida – cheguei a essa conclusão – é bastante estúpido, porque se já vimos o Back to The Future e já lemos todas as ficções sobre viagens no tempo e afins, nada do que somos hoje o seria se tivéssemos tido

Continuar a ler…

CADAVRE EXQUIS

Diria que o ano começou sem um dos homens que mais questionou os cânones estéticos vigentes do rock’n’roll, o lendário Lemmy Kilmister, de Mötorhead. Diria que 2016 começou assim porque, a avaliar pela razia de ídolos, Lemmy é bem capaz de ter ido para a porta da festa mais incrível de sempre, onde está quase toda a gente. Partiu a 28 de Dezembro e terá começado a compor a guest list. Porém antes de ir, é importante recordar que Lemmy foi um enorme badass womanizer

Continuar a ler…

Sou uma Clássica | #trashediastoliyourlook

Comecei a escrever este #TRASHEDIASTOLIYOURLOOK pelo menos umas oitenta vezes em papel, duzentas em notas do iPhone e umas outras centenas num documento do Pages. A primeira frase era poética e era alguma coisa género “Saí da casa-atelier-tese-de-doutoramento da Ana como quem sai de um primeiro date”, mas tive medo que fosse super pirosa e resolvi não a eliminar de todo, mas enquadrá-la num momento de declarada ironia. Depois também escrevi, como primeira frase, que esta edição tinha sido feita na casa-atelier-tese-de-doutoramento da Ana, porque

Continuar a ler…