Trashédia

YOU WILL BE HAPPIER WITH LOWER STANDARDS

Categoria CAPAZES

A AMANTE DE LISBOA

No café de uma praça de um bairro muito tradicional e ao mesmo tempo cosmopolita de Lisboa, entra um cliente habitual, que embora não fosse morador da dita praça, tinha ali estabelecido o seu consultório há umas três décadas. Embora tivesse sofrido uma valente remodelação temática (o tema era “jazz”) e dispusesse de uma situação geográfica privilegiada, o café continuava a ser utilitário pois não era particularmente memorável em nada. Não se pode dizer que tivesse uma especialidade pela qual a sua clientela fiel corresse.

Continuar a ler…

GIRLS GOT WAYS

Consta que uma rapariga da minha aldeia disse aos pais que se não lhe dessem um Golf, ela se matava. Nunca fui assim aquela pessoa que quisesse mesmo tirar a carta aos dezoito, muito menos rapariga de pedir um carro aos meus pais. Cheguei aos dezoito quando já andava no Conservatório (chamemos-lhe assim porque “ESTC” não tem graça nenhuma), pelo que não me sobrava tempo para tirar a carta. No Verão seguinte passei os três meses de férias em casa dos meus pais; fiel à

Continuar a ler…

PARA ARRIBA!

Numa das muitas vezes que saí do meu trabalho no Lux às cinco e meia da manhã, para ir a correr para o Aeroporto para depois ir trabalhar para qualquer lado num projecto insano e tremendamente intenso, apanhei um motorista de táxi muito intrigado com a minha sobriedade carregando uma malinha de viagem àquela hora. Era uma madrugada de Domingo, tinha estado a chover muitíssimo e eu estava ensopada até aos ossos, depois de uma noite inteira à porta. Ainda assim sentia-me muito independente e

Continuar a ler…

  • 1 2