Trashédia

YOU WILL BE HAPPIER WITH LOWER STANDARDS

Le Varsity Jacket

Desde que estou grávida e tenho uma barriga mesmo enorme a fazer-me companhia que sei perfeitamente que:
a) é temporário; ☑
b) é lindo e maravilhoso; ☑
c) a minha vida vai mudar para muitíssimo melhor; ☑

Como puderam ver, assinalei todas as hipóteses.
E não é por não saber escolher, é porque é mesmo genial.

Andava atrás de um Varsity ou Letter Jacket que fosse eficaz, bom, giro, bonito, fiel à autenticidade do que é o ícone original a ser reproduzido, etc etc etc.

Tendo trabalhado em vintage tanto tempo, sempre que chegavam novos carregamentos de Varsity Jackets havia um pequeno momento de delírio em que tentava perceber se seria desta que iria, finalmente, conseguir encontrar um para o meu tamanho.
Nunca havia.
The Perks of Vintage, sim…
Concluí, através do meu estudo de veste e despe infinito, que as meninas que outrora receberam o mérito de obter um casaco símbolo de prestígio numa actividade escolar, eram todas bastante mais entoiçadas que eu, daí que fosse mesmo muito impossível conseguir um.
Dava-me muita raiva, porque as cores eram lindas, os emblemas eram lindos e porque os melhores, os das mangas em pele, chegavam até nós maravilhosamente gastos e com nomes como Peggy, Jenny, Jenna, Trish, Amber, Brittany, Kim, Becca, bordados no peito. O nome da equipa viria nas costas, em gigante.
Toda a iconografia do Teenage American Dream (sim, a meritocracia reconhecida através de uma peça-troféu, de uma peça-objecto de culto passível de ser utilizada com orgulho para o resto da vida académica, cujo destino tanto pode ser o Salvation Army como um porta-fatos cheio de naftalina para que os nossos filhos possam desfrutar das nossas glórias passadas) que nunca consegui encontrar para o meu tamanho.
Estava-me atravessada, esta.

Embora seja uma grande fã do oversized, neste tipo de peça é preciso não ter a anca da largura da minha para se poder andar com um Varsity Jacket dez números acima do nosso.
Além disso a maga raglan (que é a que prefiro neste tipo de casaco) fica muito melhor quando do tamanho certo.

Decidi esperar pelo meu pedacinho de América.
Sei que há coisas que um dia nos caem no colo sem termos de nos esforçar, porque tal como a simbologia do V. Jacket, também havemos de chegar ao momento em que merecemos a nossa recompensa.
Esse dia chegou quando fui à Diesel ali no Largo Camões e descobri que, passados uns oito anos dos meus desejos ardentes, o casaquinho que queria e que me faltava no guarda-roupa ideal que estou a tentar ter (só com peças-chave que amo) estava a existir e à espera que eu o encontrasse.
Vivi momentos de grande felicidade nas várias etapas deste processo: do olhar para ele ao experimentá-lo até descobrir que tinha valido a pena esperar. Ora ali estava um Varsity Jacket, não autêntico mas perfeito: sem carga emocional ou história prévia de sucessos que me são alheios, pronto a ser estreado daqui a uns meses (porque devido ao facto de Portugal se ter tornado num país de clima tropical, ainda não há necessidade de deitar a mão aos agasalhos), óptimo para todas as ocasiões da minha novíssima vida.

Entretanto, e porque o Instagram é um Universo controlado, composto apenas pela população que escolhemos (no meu caso, só população de quem gosto), percebi que a super talentosa Teresa, mais conhecida como DA CHICK, também foi à Diesel e escolheu o mesmo que eu: o Varsity Jacket! Hihihihihihihihihihihihi!!!

Longe de ficar amuada por termos coisas iguais, quis imenso mandar-lhe um Instagram privado (que não sei como se faz) a dizer que podíamos formar um pequeno gang. Não sei se a ela lhe viria bem ter um gang comigo, nem o que é que podíamos fazer, mas pronto. Temos casacos iguais. É um começo. Há gangs que começam com muito menos.

Seja como for, se ela não alinha, para o gang que já sou (eu e a minha filha), acho que ao casaco era óptimo acrescentar isto:

qcpgncG

Uma lista super credível para mim, Futura Mãe:

1. O Varsity Jacket da Diesel; 2. T-Shirt com Bola de Futebol na zona do grande globo materno, ASOS Maternity; 3. Jeans Super Skinny da Diesel, o modelo é o Doris; 4. E porque o pé já não entra em lado nenhum, muito menos em locais com atacadores, Vans Vintage Suede Slip On; 5. Origami Backpack, da Nixon, porque vem por aí uma enxorrada de material didáctico essencial às vidas que irei comandar; 6. Blush Volupté nº. 6 Passionée, da Yves Saint Laurent, porque a pessoa não deixará de ser vaidosa; 7. Necessaire Herschel Supply;  8. Mantinhas de bebé às estrelas, Gant Home; 9. Ulysse The Horse, Bla Bla Kids.

0

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado.