Trashédia

YOU WILL BE HAPPIER WITH LOWER STANDARDS

OOTD #14 | FORAM CARDOS COR DE ROSA

Que me lembre, não tive assim pancada pelo cor de rosa quando era criança, mas sempre tive coisas cor de rosa das quais me lembro muito bem. Por ordem cronológica: uma T-shirt cor de rosa dos Simpsons, uma camisola de malha cor de rosa com um esquiador prateado, um casaco às rosas cor de rosa, uns ténis cor de rosa, umas sabrinas cor de rosa madadas fazer à medida do meu pé na Sapataria Lisbonense por altura do meu 17º aniversário, umas calças Blumarine cor de rosa que herdei da minha Tia Oriental, um pullover que tricotou a Dª Fernanda para o seu Filho enfrentar o frio de Portalegre há mais de quarenta anos e que ele ofereceu à minha Mãe e que ainda guardo, um outro pullover cor de rosa que comprei na Artidina. O conjunto de seda que a minha Tia usou no meu batizado, uma camisa de seda cor de rosa choque. Cortes de seda selvagem cor de rosa que nos chegavam da minha Tia, a Mais do Oriente. Jo Down South -3

Como diz a Isabela Figueiredo no seu Caderno de Memórias Coloniais que li num dia e emprestei no outro  (não consigo citar porque emprestei o livro…), usar cores na metrópole parece um atentado à sobriedade vigente.
Tudo o que escape à normatividade dos tons terra e neutros, dos pastéis do mass market e dos tons da bandeira nacional em dias de jogo, é para partir pescoços, arrancar gargalhadas e empinar indicadores. Só que no Caderno de Memórias Coloniais, Isabela Figueiredo refere-se ao período pós-25 de Abril. Quarenta e dois anos depois ainda o Chiado gira sobre os seus calcanhares para ver quem passa. Notei muito isso quando vim morar para Lisboa. Lá no campo parece que ninguém notava.

Este ano voltei em força ao cor de rosa. Aos total looks cor de rosa. Apetece-me estar permanentemente vestida de cor de rosa.
O cor de rosa para mim é um acto político, porque se vestir-se é comunicar não-verbalmente, então é essencial usar cor de rosa em 2016.
Escrevi um texto sobre cor de rosa que prometo publicar ainda esta semana.
Para falarmos um bocado.

Sensivelmente por esta altura do ano de 2013, comecei a pensar no que viriam a ser os óculos que desenhei para a Paulino Spectacles.
Queria-os big and bold e queria que fossem imperdíveis.
Em Janeiro de 2014 visitei a fábrica onde iriam ser produzidos e descobri um resto de um acetato cor de rosa, ali esquecido desde os anos setenta (<3), que quis usar para produzir TIRÉSIAS (nome que dei ao modelo dos óculos), mas o pedaço de acetato era tão pequeno que iria ser possível produzir pouquíssimos. OK; por mim, na boa. Em Outubro de 2014, os meus TIRÉSIAS saíram para a Paulino Spectacles. Cor de Rosa, branco pérola e azuis. Quem tem um par de TIRÉSIAS cor de rosa tem uma peça muito especial, inteiramente produzida à mão e muito pouco repetida.

Há dias enquanto andava a tratar de coisas da casa tropecei numas sandálias lindas, cor de rosa, de forma super inesperada. A cor, a combinação de materiais e o modelo fizeram-me querer experimentar estas sandálias. Pedi o meu número e tinham. Eram lindas e estavam em saldos. Fotografei e mandei ao meu Marido para ele dar uma opinião. São lindas! Bora! E assim tenho umas sandálias que desde que comprei não descalço e que já levaram algumas amigas a ir também às compras!
Jo Down South -9

A Maria e a Joana têm muita coragem e abriram uma loja chamada Les Filles.
É online, o que facilita o acesso a todos os leitores.
Mandaram-me um mail para saber se estaria interessada em saber delas. Já tinha ido lá cuscar porque vi um post da Anita Teófilo e fiquei com a pulga atrás da orelha. Impossível não me entusiasmar com coisas novas que são incríveis e ballsy em tempos de guerra. E torna-se ainda melhor quando a selecção é tão maravilhosa, ponderada e tão exclusiva: é possível comprar Marques’Almeida sem ter de ser da loja da Opening Ceremony, por exemplo. Ou é possível deitar as mãos a marcas australianas como a Soot.
A Maria e a Joana foram muito queridas e puseram a Les Filles à minha disposição para brincar às fotografias. Inevitável escolher peças cor de rosa. Entre elas este macacão que é inacreditável de tão afirmativo que é. É TOTAL. E tem fitas que dão para fazer laços intermináveis. É coquete sem o ser, é para portadores orgulhosos de cor de rosa. É gender free.
Jo Down South -8Jo Down South -7
Para este #OOTD, atravessámos a terra ressequida pelos quarenta e tantos graus do Domingo passado, enchemos os pés de cardos até chegar ao sítio certo e olhámos sozinhos para a imensidão da planície e do montado e do céu. Nos dias de muito calor, o fim de tarde fica assim com uma neblina quente, que parece um véu cor de rosa, que cobre tudo o que passou o dia a arder e a resistir. O sol pôs-se preguiçoso, enorme, e cor de rosa já eram nove da noite. Deve cansar aquecer tanto.

Só é possível fazer estas fotografias dos #OOTD porque são construídas com o meu inigualável Marido, @carlospintophoto

Macacão SOOT na Les Filles | Óculos de Sol TIRÉSIAS Joana Barrios x Paulino Spectacles (muito provavelmente disponíveis) na Óptica do Sacramento ou na Olhar de Prata | Sandálias CAMPER | Anel Dior | Pulseira na Elements

4

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado.