Trashédia

YOU WILL BE HAPPIER WITH LOWER STANDARDS

ÓSCARES – Oitenta e Sete Anos de Terror, Parte I

Propus-me dar volta aos arquivos que a internet disponibiliza para encontrar os piores vestidos que já passaram pelas carpetes dos Óscares.
O que irei partilhar convosco tem tido a capacidade de me provocar mais ou menos o mesmo aos olhos que a descrição do momento em que Édipo fura os dele com os colchetes de ouro retirados do manto de Jocasta, sua mãe, na tragédia de Sófocles.
Isto é a tragédia dos Óscares, revisitada.

Após várias pesquisas, constatei que muitos dos vestidos comentados são quase sempre os mesmos: o famoso McQueen que a Gwyneth levou sem soutien em 2002, o vestido arco-íris da Faith Hill, também de 2002, o super comentado Lacroix da Uma Thurman de 2004, o cisne de 2001 da Björk, o Prada da Anne Hathaway de 2013 ou um vestido rosinha que a Hilary Swank fez o favor de usar no ido ano de 2003.
Volta para a frente, volta para trás, vai dar tudo ao mesmo e nenhum é assim tão escandalosamente ruim como isso.


O McQueen? Sim, pronto, é mau, é tipo top de desporto Stella McCartney para a Adidas goes Ioga, com atilhos frontais do medievo, com uma saia comprida de um tafetá bom, com penteado de polaca pobre e jóias modestas, sendo que o colar vinha num atacador de sapato, sim, péssimo, mas não é escandaloso. E as costas encovadas da Gwyneth também ainda não deixavam adivinhar a fresca que viria depois o Chris Martin (ou a sua participação no Glee) denunciar.
Era outro tempo.

O vestido arco-íris da Faith Hill? Pá, sim, não é ideal, mas também não é o fim do mundo. Está pior a sombra de olhos e ninguém disse nada… Pensando bem, em qualquer gala portuguesa aparece sempre mais do que uma convidada com um Micaela Oliveira ou um Loja das Marias que encosta este pequeno precalço da Faith Hill num instante. (Se calhar é por isto das galas portuguesas que tenho arcaboiço para não acreditar que estes exemplos comuns a todas as listas das piores vestidas dos Óscares sejam assim tão maus…)

O Lacroix da Uma Thurman… É assim, se ainda hoje ela é uma das mais óptimas de sempre, em 2004 podia vestir o que quisesse porque era simplesmente a gaja mais cool e incrível do mundo mundial.
– Mesmo com um reposteiro branco e sobras de brocados de vestidos de noiva atados com um colete que atava em baixo numa faixa azul que caía discretamente sobre uma racha que vai lá vai?
– Sim. After all, She was killin’ Bill.

Já o cisne da Björk, eu acho que ninguém o retira das listas dos piores, porque se empenharam tanto a dizer tão mal do pobre do vestido e a ridicularizar tanto a pobre da Björk, que agora até parecia mal começar a dizer bem. Eu por acaso sempre achei o vestido lindo. Em 2001 tinha 15 anos e ainda pedia autorização para ficar acordada a ver aquela estopada que é a cerimónia dos Óscares, e lembro-me que adorei o cisne e que aquilo fez todo o sentido para mim. 14 anos depois, a opinião mantém-se: é um winner. Venham todos os Cremasters do mundo dizer o contrário. Eu acredito.

Quanto ao Prada da Anne Hathaway de 2013, tenho a dizer que o achei super elegante e que achei que ela estava óptima. Gosto imenso da cara dela, que é tipo a pistola de maquilhar do Homer Simpson mas numa pessoa, e acho que aquilo tudo era sublime e que o Mundo não está preparado para este tipo de sublime, pelo que o que resta é o quê? Dizer tão mal que a coitada teve de se arrepender publicamente por ter escolhido aquele vestido… Que tinha um corte incrível e lhe assentava que nem uma luva e mais: que tinha uma cor ousadíssima, perfeita no tom de pele dela, no cabelo, em tudo. Nunca cheguei a perceber a polémica. Foi pelos mamilos? A Pamela Anderson já os mostrou em 2001 com um traje muito pior e ninguém a incluiu nas listas. Get a grip, pessoas das listas!

Por último, o da Hilary Swank. Oh pá… Mas a Hilary Swank é lá pessoa de fazer uma escolha de vestido? Sabe lá ela… Basta ver a incongruência de estilo (não, não é evolução, chama-se contratar um consultor de imagem) da pequena.
– Em 2003 o rosinha curto com comprido de tule a fazer o sim-pois-não-talvez foi ao lado?
-Foi.
– Fez mossa?
– Nenhuma.

Pronto, e depois desta análise assim rápida, perguntei-me se alguém teria ido lá esmiuçar mesmo ao âmago da questão e encontrei assim uns quantos que o fizeram e que me mostraram o caminho, e decidi ver TUDO, desde 1987, TUDO o que a internet me deixou ver, claro está, porque não tenho pretensões de ver muito mais para trás, até porque os tempos começaram a mudar para o estilo Carpete Circense há coisa de uns trinta anos. Daí que me tenha debruçado mais sobre a tragédia mais recente, em vez de ir pesquisar os looks amazings da láif e das Grace Kellys da vida.
Isso tem ZERO graça.
E como também os Óscares calham na semana pós Carnaval, isto também acaba por ser uma boa forma de pensar nas máscaras do ano que vem, para os que não conseguiram uma boa para este ano…!

Terça-Feira começo, com todo o gosto a partilhar convosco, as minhas listas:

Para Terça-Feira, ÓSCARES – Oitenta e Sete Anos de Terror, Parte II – Trajes de Época
Para Quarta-Feira, ÓSCARES – Oitenta e Sete Anos de Terror, Parte III – Uma Mulher Que É Uma Categoria
Para Quinta-Feira, ÓSCARES – Oitenta e Sete Anos de Terror, Parte IV – Please, Make Her STOP!
Para Sexta-Feira, ÓSCARES – Oitenta e Sete Anos de Terror, Parte V – E Mesmo Assim, Ganharam

Não garanto que não surjam mais ou duas até Domingo…

 

0

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado.