GUIA DA BAZÓFIA ESTÉTICA EXTREMA

Este é um post encomendado.

E este é o GUIA DA BAZÓFIA ESTÉTICA EXTREMA, o qual é nada mais do que uma espécie de compilação de peças que devem povoar os roupeiros, closets, armários, gavetas ou pura e simplesmente pilhas de roupa em cima de cadeiras ou mesmo nos chões daqueles que são da BAZÓFIA ESTÉTICA EXTREMA na sua vertente alternativa, claro está.

1. Boné Suicidal Tendencies com a pala para cima, mesmo que ninguém saiba quem são ou o que é que alguma vez fizeram/cantaram/disseram. Este item é obrigatório. Pode ser substituído por um trucker cap com uma esponja genérica ou com dizeres engraçados, sempre relacionados com petroleiras, bombas de gasolina ou diners Norte-Americanos, mas não é a mesma coisa. Também pode ser um boné irónico sobre realidades rurais do nosso país. Para os mais doidos, costumizado.

2. Satin/Silk Jacket que fazem lembrar os Members Only ou Corta Vento desportivo com um estampado super irónico.

3. Vans Era de sola fininha – ERRO CRASSO, mas muito usado. Ou quaisquer outros ténis de sola fininha, para lembrar aquele estilo de que tanto gosto, que é o estilo pobrezinha/o.

4. Short de Ganga, o qual fica bem no macho ou na fêmea, SEMPRE.

5. Creepers ou sapatos com imensa sola.

6. Tote bag de pano de preferência muito suja e que seja de algum certame intelectualóide ao qual não se foi.

7. Oxfords, botas Peter Pan/HarryPotter/Tom Sawyer.

8. TACHAS e PICOS.

9. Skinny Jeans – porque tudo o resto é errado e o skinny tem sempre aquele edge impossível de contornar.

10. Tatuagem, Piercing ou qualquer outra manifestação tribalizante urbana extrema. E visível.

11. Triângulos equiláteros. Seja no que for. Tem de haver triângulos. Os triângulos são a forma geométrica que garante a entrada na cena. Se for uma tatuagem com um triângulo então… UFFFFF!

12. Estampados de inspiração Azteca em cachecóis, casacos, cintos, malas e T-shirts para ambos os sexos. E muito Tie Dye. No caso do sexo feminino sozinho, o ideal é haver imensos estampados com animais pequeninos em tecidos esvoaçantes (cães salsicha, caniches, passarinhos…). E estampados de LEOPARDO. 

13. Flannel Shirt, para ele ou para ela. No caso dela, as diversas hipóteses de utilização provocam resultados muito diferentes: grunge, preppy, boyfriends’ little princess, punk…

14. A camisola/T-shirt com pastores alemães ou rotweilers raivosos, tigres ou leões ou panteras, como nas coisas da Givenchy.

15. Casio Digital dourado – marca sempre a diferença. Mas toda a gente compra sempre o modelo errado, que é o modelo que vendem os chineses e indianos. They scream WRONGNESS ALL OVER!

16. Óculos de Sol muito flashy, mas sem marca. (Aceitam-se os Ray Ban falsos de armações coloridas e todos os modelos de óculos de qualquer loja que não seja uma óptica. Os olhos ardem e as retinas irão derreter aquando da utilização de semelhantes objectos, mas assim têm-se muitos pares. Também se aceitam imenso aqueles de armação redonda em metal, super Pedro Abrunhosa e Os Bandemónio, na altura do álbum Viagens – as raparigas fashion adoram.)

A utilização destas coisas deve fazer-se toda junta, sempre com imensa convicção e com um número de acessórios de base bem definido, o qual difere quer estejamos a falar de rapazes ou raparigas, evidentemente. Mas não muito.
Ajuda muito se algumas das peças-chave congregarem várias das ramificações; por exemplo o short de ganga tie dye com tachas – matam-se logo três coelhos de uma cajadada só.
O objectivo é sempre a BAZÓFIA, pelo que é extremamente importante usar o máximo ao mesmo tempo e não olhar a meios para atingir fins, o que significa comprar muito e barato e o mais possível: falso, não falso, não interessa.
É essencial ir ou ser visto na Feira da Ladra, na Humana e em lojas alternativas, mas é mesmo importante andar pelo sótão da Avó. E que isso se note. Nada disto funciona sem ironia.

No caso das Senhoras, usar sempre com collant de vidro, uma maquilhagem carregada a atirar para os tons acastanhados no que à cobertura da face diz respeito, um colar ou fio com pendente prenhe de significação (mas fabricado em série) e Litas.

No caso dos Senhores, é mais simples: tudo isto sai à rua com um penteado muito estudado mas altamente natural, com um apontamento muito muito muito discreto (um fio ou uma pulseira) para que o resto da entourage não troce ou com uma pulseira de cabedal ou uma jóia que devia ser de autor mas não é.

4 comentários a “GUIA DA BAZÓFIA ESTÉTICA EXTREMA

  1. É um retrato do Chiado…. O que nao consigo perceber foi como surgiu, pois de facto anda aí muita gente assim. De onde virá a fonte de inspiração??? Isto ha epocas para tudo, em tempos os rapazes andavam de camisa ralph lauren, sapato de vela e cabelo cortado à chapada, as miudas andavam com umas botas de salto em cunha ou uns tenis, tambem eles em cunha ( que sempre me fizeram lembrar os sapatos compensados de quem tem problemas e assimetrias de comprimentos de pernas) cabelo esticado com a bela da nuance loira, chocalho em redor do pescoco, pulsos e orelhas… Portanto se calhar esta nova fotografia traduz o passar dos tempos!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *