ÓSCARES AO VIVO E AO MORTO NA E DA RED CARPET

Fiz uma votação no Instagram, a perguntar se valia a pena fazer um live mas mais ou menos ao dead da red carpet dos ÓSCARES e só 2% é que, até esta hora, votaram que XKESSE, por isso, aqui estou.
Há bastantíssimo tempo que não faço um destes posts porque enfim, os tempos mudaram muito e ainda bem, porque está ali a Billie Eilish em oversized Chanel a dizer que acha bizarro estar ali, que acha que está mesmo misplaced, e eu acho lindo. Vai com umas unhas impossíveis de manobrar, um cabelo lindo, maquilhagem óptima apesar do ligeiro tom alaranjado na bochecha, mas obrigadas MIL por esse ensemble Chanel e por estares de calças, Billie, por não te teres mascarado de freme fatale, porque isso far-te-ia perder aquele street cred que tens, que é mesmo OMG.

Billie Eilish, em Chanel total, tal como uma pessoa de 18 deveria ir, OBVZ.

Começo por dizer que fiz o raio do update para o iOS Catalina e que demorei cerca de mil anos a conseguir reabrir tudo, porque este é, sem dúvida, o pior update de sempre.

Estou a seguir aqui a red carpet no E! e porra começaram a dizer agora mesmo what a sustainable moment quando passou uma garota de vermelho e cuspi-me toda: tenho vontade de rir e chorar ao mesmo tempo, mas especialmente de partilhar este meme sobre alguns dos disparates que se costumam dizer sobre “sustentabilidade”.

Para x comentador do E! usar um vestido ou look de arquivo é ser “sustentável”, vai daí despacho já a Margot Robbie, também, porque apesar de estar gira, não está nada de mais, mas está sustentável.

Com este medalhão parece a Princesa Sofia. Desculpem.

Agora de repente acabo de ver a Laura Dern com um vestido que me faz lembrar aquelas bonecas espanholas que eu própria tenho em cima da minha secretária, mas numa versão assim mais red carpet, assim mais “editada”, que é sem os folhos todos até cá abaixo, sem o manton, mas com todo um acontecimento no peito. Um beijinho também à Laura porque tem o vestido todo amarrotado em baixo.

Laura Dern em Espanhola Amarrotada.

Kelly Ripa também se integra na categoria Boneca Espanhola, que é já uma categoria, que já está a ser uma categoria. Em preto, mais severa, mas boneca espanhola. Com outros atributos em destaque, mas boneca espanhola TOTAL. Uma manga só, portanto um assimétrico, um folho discreto. Toda uma amplitude.

Kelly Ripa em Boneca Espanhola BiFolhar.

Idealmente os meus posts destas coisas são feitos depois de estarem todas já sentadinhas no Kodak Theatre, para poder agrupar por tendências da noite. Isto assim mais ou menos live é menos organizado e não sei se tem tanta graça…
Acaba de passar um custom Vera Wang – eu quando ouço isto com aquele sotaque das apresentadoras do E! começo a rir muito, como se custom Vera Wang fosse alguma espécie de sonho, ou assim, porque nem preciso de olhar para já estar a ver a alcinha esparguete. Ai.

Era a Julia Louis-Dreyfus a chegar no tal custom Vera Wang YAWNG.

Entretanto, porque tenho aqui o site da Vogue aberto, também, acabei de me espantar. E até achava que não tinha visto nenhum filme candidato aos Óscares, mas enganei-me…! Afinal vi o Toy Story 4 e o Frozen II.
Para quem tem filhx em idade de Frozen, o nome Idina Menzel soa muito. Acabo de a ver e não bate a bota com a perdigota. Pensava noutra cara para dar à Idina. O vestido está bastante bem, rosa choque fortíssimo, o laço assim descaído, como de resto as farripas frontais do penteado, mas se eu fosse a Idina, iria, OBVIAMENTE, vestida de Elsa na sequela, na cena em que ela entra pelo mar revoltoso adentro, com vestido-capa transparente e uma espécie de wetsuit por baixo e descalça. Tipo, ZERO dúvidas. Mas há pessoas que não entendem determinados chamamentos, e a Idina não é assim. É séria.

Sandra Oh, que não é propriamente conhecida pelo seu gosto na red carpet, acaba de não surpreender ao apresentar um daqueles modelos que é tipo, TUDOAACONTECER. Já vi brilhos, folhos, decote deep V, e detalhes de patinadora, mas também um laço. Mas esperem, que há ainda um efeito floral nas mangas! AAAAAHHHHHH!

Oh, Sandra! O que é isto TUDOAACONTECER?

Entretanto, um beijo enorme à America Ferrera, que assumiu já aqui as rédeas de um look que estava tão bem, mas que foi completamente destruído por uma faixa dourada ao meio da testa. Caramba. Ainda não consegui descolar os olhos da faixa, porque a faixa captou imediatamente a minha atenção e já não sou capaz de olhar para a beleza do estado de graça, para o poder magnético do vermelho mais escuro e profundo e elegante. As mangas, o corte princesa, o encaixe do peito. Tudo para o lixo por causa daquela coisa a atravessar a testa. Faz lembrar quando uma pessoa vai sair à noite e está em casa com azamigas a arranjar-se e já está bom, mas agarra em mais uma merda qualquer e põe à frente e uma amiga diz que não, a sério, não é nada too much, LEVA, para fazeres figura triste a noite toda, porque no fundo uma dazamigas tem uma vingancinha qualquer pendente.

Não, a sério, não é nada TOO MUCH, ’tás linda, myga! LOL ’tá péssima!

Finalmente dois momentos magníficos de red carpet a sério! Uma pessoa vestida de pessoa do guarda-roupa e uma pessoa vestida de francesa. Na categoria Com A Verdade M’Enganas, aqui vão dois belíssimos exemplos de porque é que um Stylist faz mesmo muita falta, especialmente nestas ocasiões.

Sandy Powell enfiada num fato duvidoso autografado por todo o cast and crew.
Dominique Lemonnier usa gola alta com um balandrau colorido por cima e já está, que para quem é bacalhau basta! Neste caso um croissant ou um maccaron, ou assim.

Chegou a Penélope e parou tudo. Aceito tudo, menos pessoas que fizeram umas nailz para um dia e que não estão a saber lidar com as nailz. Tudo menos isto. Chanel com nailz impossíveis de manobrar só dá com a pausa da Billie Eilish… Aquele género revamp dos nineties curto e comprido, enfolado e não, com sapatinho e alisamento capilar mais nailz é bastante não bate a bota com a perdigota, e estou a sentir aqui mais uma categoria a surgir, Não Bate a Bota com a Perdigota. A Penelope tem bolsos. E isso é fixe. Para esconder as nailz a que não sabe o que fazer.

A Penélope… Isto já é muito ano a virar frangos! El pie? Joooooo ya me lo pongo así desde Jamón Jamón, mujer!

Finalmente um look que me matou, que me fez suspirar e tudo, Maya Rudolph!!! YESSSS! Linda! Nada a apontar! Lose coccoon shaped, lantejoulas, não arrasta no chão, não é linear e tem drapeados e um monte de coisas, mas como está super incrível, ninguém diz que é um exagero!

Maya Wilson inaugura a categoria #PERFEITAS !

Rebel Wilson está DEUSA. Tipo, DEUSA. Nadíssima a apontar. Que linda! Até porque acho que é mesmo muito divina, vai daí… perfeita.

Rebel Wilson, na categoria #PERFEITAS .

Saiorse Ronan é sem dúvida linda. Está super bem! Está a cumprir a cena do vestido comprido, mas em alegria e boa onda. Aliás, sou capaz de dizer que se vê na cara dela que está a curtir imenso o vestido e o papel que fez e a ida ali à carpete. Acho muito bem. Pelo menos agora. Daqui amanhã já não sei. Se calhar é do sono, ou porque se me acabaram as bolachas. Sim, porque estamos aqui a falar a falar, mas estou a encher a cara de bolachas e o teclado de migalhas, consequentemente, enquanto escrevo aqui. Mas sim, está linda.

Saoirse Ronan é a terceira na categoria #PERFEITAS e há montes de gente a dizer que parece uma blogger, mas é aquilo que eu disse lá atrás… o tempo mudou. Bué. Na verdade nada disto faz nenhum sentido. LOL.

Renée Zellwegger óptima, mas o assimétrico está a comprometer seriamente a sua linguagem corporal, o que me leva a crer que o braço que tem manga estará com malfunction de última hora, porque ela só levanta um braço. LOLZ. Linda na foto, though.

A Renée é óptima. Tem tudo e um dos melhores looks de makeup da noite.

Ai, esperem, chegou a mais seca de todas, a querida Natalie Portman, que é sempre uma seca menos quando namorou uns meses com o Devendra Banhart. Aparentemente leva uma capa com o nome de todas as realizadoras que não foram nomeadas para os Óscares, mas não vejo nenhum bordado, não sei. Acho-a sempre uma seca. Desculpem. Ela é indie e fixe e vegan e bué outras coisas potencialmente incríveis, mas é uma seca. Eu juro que tento muito gostar dela, mas não consigo. E gosto ainda menos quando se dá todo este claim e depois os bordados são uma coisa mínima na lapelazinha interiorzinha. Isto sim era caso para integrar a categoria Com A Verdade M’Enganas, com todo um statement look, etc… Assim é só um exercício de visibilidade invisível, cujo objectivo é não só fazer a Natalie brilhar dentro daquela concepção de belo antigo e clássico e evocativo, como também de captar atenção, mais atenção, para o seu gesto de visibilidade que só se vê quando lhe perguntam e ela mostra sem grandes convicção. Attention whoreness indie não me dá. A makeup e o cabelo estão mesmo bem, though.

Natalie Portman, a aristocrata de Holywood em Dior Haute Couture com os mais peequenos bordados pela inviabilidade – perdão! – visibilidade das realizadoras esquecidas.

Meia internet está a falecer com síncopes pelo look da Florence Purgh e eu estou neste momento a achar que sou uma pessoa extremamente limitada pela incapacidade de compreender isto. Para mim está dentro da categoria Boneca Espanhola, sem dúvida, mas com o pé frontal em pose como qualquer mona num photocall para parecer mais alta, ou para afinar a perna, ou para parecer a anca menos volumosa – tudo coisas que já ouvi da boca de pousadoras experientes em photocalls.

Uma entrada directa para a categoria Boneca Espanhola com pié a juego.

Entretanto não sei se estavam a ver a chegada da Brie Larson no E!, mas foi MORTAL! Adorei o biuld up de aaaahhhh vai chegar e depois de repente um silêncio desconfortável e alguém, quer dizer, um grupo de quatro pessoas todas montadas numa mesa viradas para uma câmara à espera de muito mais. Eu olhei. Levantei os olhos do ecrã e depois fui sacar a foto para por aqui. Sou o dedo do pé da Brie neste momento. Acho que está bem. Tem capinha, tem brilhinhos, tem rachinha, tem decotezinho. Não é nem deixa de ser, não ofende, nem fere. É tipo um old Hollywood um bocadinho mais laidback. O que mais adoro neste look é o cabelo e a makeup, que estão a assumir a atitude daquele dedo de pé. Mesmo.

Falem com o dedo do meu pé.

Entretanto, e porque acabei de ver a actuação da Janelle Monáe, devo confessar que vou escrever os próximos looks e vou dormir, porque entretanto já está a Diane Keaton cheia de frio ali a entregar o Óscar ao Parasite e eu amanhã tenho de acordar cedo. Mas voltando à Janelle, que cantou a celebrar a queerness e a blackness para uma plateia de actores e performers que interagiram ZERO com ela. Tanto discurso de inclusividade, tanta fight, tanto blá blá blá, tão pouca acção. Uma plateia de cut-outs, de gente estática, de gestos vazios. Como diria a enorme Narcisa, QUE ABSURDO!
Absurdo de belo o look da Janelle, de onde só tirava a gargantilha. #PERFEITA como só ela. E se alguma vez estiver lá na plateia e tu estiveres a actuar, Janelle, faço coros com mais graça que o dedo do pé da Brie.

Janelle Monáe, uma das rainhas da noite. #PERFEITA é pouco, mesmo!

Depois, e continuando na categoria das #PERFEITAS, impossível não amar a Chrissy Metz e este look Fafá de Belém Vermelho Vermelhaço Vermuelhusco Vermelhante VERMELHÃO. Que Deusa Meu Deus Nossa Senhora parou tudo! Linda! Eventualmente teria apanhado o cabelo, mas quero lá saber, está #PERFEITA!

Chrissy Metz, #PERFEITA como só ela sabe ser neste clássico banger!

Entretanto gostava também muito de vos falar das pessoas que foram aos Óscares, mas que preferiam ter ficado em casa, como nós, com as mantinhas e as bolachinhas que já se me acabaram há vários looks atrás, e são elas Kaitilyn Dever e as outras duas que também foram em Chanel.

Mal isto acabe, saio à francesa, Kaitilyn Dever, Oscars 2020.
Um vestido que não se entende, Scarlett.

Na categoria eu devo estar com um problema, surge então Scarlett Johansson com um vestido que eventualmente a Jane Fonda levava com um blazer por cima. Ouvi provavelmente das mais bem vestidas da noite e tornei a olhar umas dez vezes. Talvez se a Jane lhe tivesse emprestado o blazer…

E agora se me perdoam, e porque está a haver um momento um pouco *cringe* ali no palco e já são duas da manhã, vou andando a dormir e tento completar melhor amanhã.
Atenção que tudo o que aqui se escreve não é ofensivo. Não tem má índole. Não tem um cariz depreciativo.
É escrito da distância do #fandom.

3 comentários a “ÓSCARES AO VIVO E AO MORTO NA E DA RED CARPET

  1. Joana , adorei os seus comentários, também estive a ver e partilho da sua opinião em quase tudo. Ainda bem que não era só eu a fazer certas observações, é que o meu filho estava comigo( tem 19 anos), e só ria dos meus comentários. Eu fiquei triste porque não vi assim nada que me fizesse querer vender um órgão. Os tempos mudaram, é verdade! Beijos, Joana, e mais uma vez obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *